Prêmio Pritzker 2014

Ontem, 24 de março, foi anunciado o vencedor do Prêmio Pritzker 2014, também chamado de “Nobel da Arquitetura”. O eleito é o japonês Shigeru Ban.

Shigeru Ban

Shigeru Ban

Ban vem ganhando destaque desde os anos 1990 por suas obras de baixo impacto ambiental, estruturas leves, feitas de materiais descartáveis e com baixo custo de execução.

Christchurch, Nova Zelândia

Catedral em Christchurch, Nova Zelândia

O arquiteto também é conhecido por atuar em áreas  de catástrofe. Por 20 anos tem viajado o mundo para lugares que sofreram com desastres naturais e/ou humanos como em Rwanda, onde em 1999 construiu abrigos para os refugiados da guerra civil, e em Christchurch, na Nova Zelândia, onde uma catedral de papelão foi construída depois que terremoto destruiu a catedral local, simbolo da cidade.

Abrigos para refugiados em Ruanda

Abrigos para refugiados em Ruanda

Nesses locais costuma envolver os cidadãos locais, voluntários e alunos para projetar e construir estruturas simples, decentes, recicláveis e de baixo custo e edifícios da comunidade para as vítimas de tais circunstâncias.

Confira aqui, mais trabalhos de Shigeru Ban.

 

Viva Lina!

Image

foto: Lina Bo Bardi

Hoje, 05 de dezembro 2013, Lina Bo Bardi completaria  99 anos.

A arquiteta que nasceu na Itália, veio para o Brasil em 1946, e em 1951 naturalizou-se brasileira.

Aqui, Lina apaixona-se pela cultura popular. Essa admiração fica expressa de maneira bem clara em seus projetos, que primavam por uma arquitetura viva, habitada, com gente.

 

Entre suas obras mais conhecidas estão o Sesc Pompéia e o MASP em São Paulo. 

Imagem
croqui: teatro do SESC Pompéia

A cidade de Uberlândia, terrinha aqui da Cia de Arquitetura, tem o orgulho de ter a única obra dessa arquiteta em Minas Gerais. 

Imagem

croqui: Igreja do Divino Espírito Santo do Cerrado

  A  singela Igreja do Espirito Santo do Cerrado, construída em um sistema de mutirão, um trabalho em conjunto entre arquiteto e mão-de-obra. De 1975 a 1981, Lina esteve por diversas vezes em Uberlândia acompanhando o projeto.

Em meio a toda a recente discussão causada pela declaração do atual curador do MASP sobre possíveis intenções de fechar o vão livre do museu, deixamos aqui esse croqui onde ela já previa as pixações no teto do vão, como parte da ocupação de um espaço pertencente à cidade.

Imagem

croqui: vão livre do Museu de Arte de São Paulo

 

“[...] minha preocupação básica foi a de fazer uma arquitetura feia, uma arquitetura que não fosse uma arquitetura formal, embora tenha ainda, infelizmente, problemas formais. Uma arquitetura ruim e com espaços livres que pudessem ser criados pela coletividade. Assim nasceu o grande belvedere do museu, com a escadinha pequena. A escadinha não é uma escadaria áulica, mas uma escadinha-tribuna que pode ser transformada em um palanque. Eu quis fazer um projeto ruim. Isto é, feio formalmente e arquitetonicamente, mas que fosse um espaço aproveitável, que fosse uma coisa aproveitada pelos homens.”

Generosa, a Dona Lina. Fazendo arquitetura não para si mesma, mas para a cidade, e quem vive nela.

Cadeauté

O nome é um verbo. Vem do africano francês, e significa Presentear.

E assim que chegou, já ganhou um lugarzinho aqui na Cia, o presente que o Erick Riul ganhou da Cadeauté.

Image

The Fool on The Wheel

 O trabalho é da uberlandense Bárbara de Lima.

Obcecada por cor, papel, padrões, formas, tecidos e antiguidades, deixou o Brasil pra dar vida às suas criações no Canadá.

Image

Bárbara de Lima

 Os designs coloridos saem do papel e se estendem para peças únicas, de decoração e mobiliário.

ImageThe Mazle
Image

Hello Sunshine

Image

Lucy

Seguimos à procura de bons exemplos!

Pra quem quiser conferir mais sobre o trabalho da Cadeuaté seguem os links:

Website: www.cadeaute.com

Facebook: www.facebook.com/cadeaute

66,00 m² e um Casal

Recebemos a visita de um jovem casal.

Diversas idéias, verba com limitações, e inúmeras necessidades. Dentre as mais importantes gostaríamos de destacar a privacidade do quarto, um banheiro que atendesse ao mesmo tempo moradores e visitantes e uma área social integrada com a cozinha.

O projeto deveria também prever a possibilidade de ampliação e fácil execução para a obra.

Vejam abaixo o resultado:

 

 

 

 

 

O valor da obra no sistema de Tijolos Modulares Solo-Cimento foi orçado em R$ 65 mil, excluindo custos com muros e administração da obra.

Pequena notável

Este projeto foi desenvolvido para um tipo de cliente que tem aparecido muito no escritório, aquele que tem o terreno e está financiando a obra. A princípio o limite de construção é 90,00 m² mas com opções de ampliação futura.

Vejam o resultado, planta simples, funcional e arquitetura com estilo.

O corpo principal da casa ficou com 87 m².

A garagem (20 m²) e a varanda dos fundos (28 m²) são as áreas que serão construídas futuramente. A área total construída será 135 m².

Abaixo a volumetria:

Frente

Elevação

Fundos

Cara ou coroa?

Sabe aquela pegadinha de colar a moeda no chão pra ver quem tenta pegar?

O designer austríaco Stefan Sagmeister levou isso um pouco além, foram 250.000 moedas para criar o desenho no piso dessa praça de Amsterdã.

Outro exemplo é o do Standard Hotel, na Highline em Nova York.

O revestimento do restaurante, que parece pastilha, são na verdade moedas de 1 centavo de dólar coladas no chão! Juntaram 50.000 moedas que foram encontradas abandonadas nos quartos e as reaproveitaram.

Objetos do cotidiano usados de maneiras diferentes e criativas sempre atraem a atenção das pessoas e gera boa publicidade.

Legal, não? E se eu dissesse que isso pode ser feito numa escala um pouco menor, no chão da sua casa, numa parede ou numa bancada de cozinha, por exemplo? Reunimos aqui, mais alguns exemplos.

Aqui há um passo a passo detalhado (em inglês) pra quem quiser tentar em casa!

Guarde o troco!

Famiage – Já ouviu esse termo? Post Atualizado!

Na Cia de Arquitetura existe uma categoria especial de projetos batizada pela Alessandra Diamante como “Famiage”. Projetos desta categoria são aqueles que fazemos para nossos familiares, quase (eu disse quase) sempre sem cobrar mas com prazo de entrega curtíssimo, geralmente o famoso “pra ontem”.

Projetos Famiage são desenvolvidos praticamente sozinhos, pelo arquiteto da família, os outros 3 da Cia trabalham apenas como bons palpiteiros.

Vou postar aqui imagens de um desses projetos que o cliente gostou muito. Sabemos disso porque não existem clientes mais sinceros do que os da categoria Famiage! (risos)

Vale ressaltar o elemento direcionador deste projeto. Um excelente lote em aclive com um ipê amarelo lindo, já existente, que será preservado a pedido da matriarca e da arquiteta/filha.

Sketch 01

Sketch 04

Sketch 03

 

Vejam abaixo fotos da obra finalizada!

Decore ambientes reaproveitando objetos

Há um movimento mundial pelo reuso do que temos em casa ou do que é descartado por empresas ou outras pessoas. Assim, um móvel que não serve mais para os pais pode ser útil na casa do filho. Lançar um novo olhar sobre os objetos cotidianos, também é um caminho para se descobrir novos usos, que dão charme e personalidade aos ambientes.

A Cia de Arquitetura reuniu algumas boas idéias para inspirar quem está pensando em dar outros ares pra casa.

Na entrada da casa, janelas antigas sobre o aparador de madeira ambientam o hall.

As portas de entrada da casa antiga foram reaproveitadas e agora são de correr, para integrar melhor os ambientes. No canto, cestos de madeira compõem o móvel.

Os pallets são esses “caixotes” utilizados no transporte e armazenagem de produtos. E que por normas de segurança são descartados após o uso. Assim, não é muito difícil ver pallets por aí precisando de uma alternativa de uso. Com um pouco de criatividade eles podem assumir um papel bacana na decoração da casa.
Aqui, acrescido de rodinhas e um tampo de vidro, o pallet assume o papel de mesa de centro para a sala.

Quem estiver reformando a casa e está deixando os móveis antigos de fora pode aproveitar os puxadores de gavetas ou armários. Eles podem virar chaveiros sem problema algum.

Reaproveitar as gavetas também é possível, aqui elas se tornam espelho e prateleiras.

Neste banheiro, a velha bicicleta faz as vezes de apoio da cuba.

Para compor uma fachada diferente para este café, o arquiteto usou, 1288 fôrmas de empadinha.

A chocolateira da Casa Cor São Paulo 2009 utilizava partes de carretéis de fios elétricos para compor o piso.

Basta uma pintura ou um tecido novo (ou as vezes nem isso) para as peças ganharem destaque na decô, com muito charme!

E se você fizer diferente?

Deixar preconceitos de lado e fugir do convencional, na hora de construir, pode ser um caminho mais barato, rápido, limpo e ecológico, além é claro de ter seu diferencial estético.

Novidade não é, já que foi por volta de 1940 que se desenvolveu a tecnologia da fabricação do tijolo ecológico modular de solo-cimento. Mas no Brasil, somente por volta de 1970 é que se passou a produzir esse tipo de tijolo que utiliza um processo de fabricação menos prejudicial ao meio ambiente.

Esses tijolos são chamados de ecológicos por não utilizar queima em sua fabricação,evitando o uso do carvão, forno e desmatamento. Além disso, não é utilizada argila na sua composição evitando a degradação causada pelo processo de extração deste material, que está com os dias contados.

Eles são compostos de água, solo e cimento prensados, e são curados apenas com rega e sombra, provocando um baixo impacto ambiental.

Mas a maioria das pessoas ainda não vê vantagem em algo que beneficia apenas ao meio ambiente. É preciso ainda ter conforto, estética e principalmente economia. E foi aí que esse método construtivo nos conquistou de vez.

Resolvemos encarar esse método na construção da casa deste post.

A obra ainda está em andamento e por enquanto só temos colhido bons resultados.

O tempo de construção é reduzido por várias questões, como por exemplo, o tipo de fundação utilizada; o sistema de encaixe que favorece o alinhamento e o prumo das paredes; e a tubulação, que já é concebida e executada junto com as paredes evitando o comum quebra-quebra posterior.

Gabarito para Radier

Ensaio para Instalações Hidráulicas

Tudo preparado para concretagem do Radier

Aplicação do Concreto Usinado

Fundação Concluída

Começando a subir as paredes.

Utiliza-se aproximadamente 70% menos cimento tanto para estrutura quanto para o assentamento dos tijolos.

Assentamento dos blocos.

Seu uso favorece uma obra limpa, com menor entulho e sem desperdícios.

Armação de vigas horizontais intermediárias.

Vigas Intermediárias Concretadas. Os furos dos blocos são preservados para passagem de Instalações Elétricas.

Com este tipo de estrutura não é necessário a contratação de Armadores e Carpinteiros.

Além de economizar na quantidade de concreto aplicado também foi dispensada a compra de madeira para fôrmas. O próprio bloco é a fôrma!

As instalações hidráulicas acompanham o levantamento das paredes. Blocos tipo canaleta auxiliam na passagem de tubulação.

Instalações Hidráulicas

Em breve lançaremos um novo post mostrando o avanço da obra.

Se interessar em construir utilizando este método, entre em contato.

Estamos em novo endereço! Rua Eduardo Marquez, 92 – Martins – (34) 3223 7447

 

Obra: Casa do Casal Arquiteto

Local: Jardins Roma – Uberlândia

Projeto Arquitetônico: Mariana Miranda

Execução da Obra: Thiago Moreno e Mariana Miranda

 

New York New York

Olhar para o triangular Flatiron, um marco bem conhecido de Nova York, localizado na 23rd Street, Fifth Avenue, e Broadway, projetado por Daniel Burnham (com detalhes por Frederick P. Dinkelberg) e construído em 1902, me fez lembrar da graphic novel de Will Eisner, O Edifício, que vem compilado no volume Nova York – a vida na grande cidade, e traz histórias que giram em torno de um edifício que lembra o Flatiron. (Aliás penso que Eisner seja uma melhor introdução sobre a vida em Nova York do que os livros de história)

É inegável a velocidade das transformações que ocorrem em meio à turbulência das grandes cidades. A substituição cada vez mais rápida de prédios, coisas e pessoas torna-se quase que banal, cotidiana.

E foi exatamente isso que me veio à cabeça, assim que vi a fachada do edifício, em uma visita à cidade. Mistura de sensações entre o que até hoje tinha sido estudado por mim como um elemento ícone, agora fazia parte das paisagens de uma viagem. Faz parte do cotidiano das pessoas, que passam todos os dias por la, mas não passam despercebidas.

Nesse contexto, construções icônicas, de referência, se tornam ainda mais importantes, carregando consigo memórias da cidade, pois se tornam um marco fixo em um palco transitório, digo, podemos olhar para o Flatiron e dizer: “Aqui é Nova York”.

Finalmente a obra concluída

Quem acompanha o nosso blog deve ter visto o post sobre uma de nossas obras, um supermercado na cidade de Monte Carmelo MG( http://ciadearquitetura.com/2011/05/09/em-obras/ ). Falávamos sobre como é bom para o arquiteto e para o cliente verem o que foi inicialmente projetado apenas no papel tornar-se realidade. E assim foi, mais uma idealização concretizada, fiel ao projeto.

Todo o mobiliário e comunicação visual também foram definidos por nós. Esperamos que gostem!

Morar Mais Por Menos Rio 2011

A oitava edição carioca da mostra Morar Mais por Menos acontece até 9 de outubro na sede da Pequena Cruzada, na Lagoa. Mais de cem profissionais, entre arquitetos, decoradores e paisagistas, assinam 75 ambientes distribuídos em 2100m² de área construída e 1800m² de área externa. Projetar espaços “chiques que cabem no bolso”, com foco na sustentabilidade, continua a ser principal desafio dos participantes do evento, organizado por Lígia Schuback e Sabrina Schuback Rocha.

Por sustentabilidade entendam-se não só produtos e materiais sustentáveis, certificados ou reaproveitados, mas também a prática da “inclusão social” através da decoração solidária. Desde 2008, o evento estimula seus participantes a buscar parcerias com ONGs e cooperativas para incluir trabalhos artesanais nos projetos. “Além de gerar renda para artesãos e comunidades carentes, esta ação promove a valorização das peças artesanais, que são ambientadas de forma sofisticada ou descolada por nossos arquitetos e decoradores”, explica Lígia Schuback.

A cada nova edição, o evento Morar Mais por Menos se firma como um evento eclético que, além de lançar novidades, revela novos talentos, que passam a dividir espaço com profissionais mais experientes. “Nosso evento coloca lado a lado, em perfeita harmonia, arquitetos professores, recém-formados, renomados e os que simplesmente simpatizam com o conceito da mostra”, conta Lígia Schuback, uma das organizadoras.

Sala e Cozinha do Estudio Contemporâneo Brasil

Quarto dos Bebês Gêmeos

CaféEstúdio do Jovem com AcademiaCozinha com HistóriaSala em Cores

Estúdio do Jovem com Academia

Cozinha com História

Sala em Cores


Casa Horizonte

Casa no condomínio fechado Jardins Roma | 330 m²

O Espaço Inovação da Casa Cor SP 2011

É entrar nele e se supreender! O Espaço Inovação da Casa Cor São Paulo 2011 é sem dúvida o mais diferente de todos. Pra começar, você entra em uma sala sem nenhuma luz, na espectativa do que encontrará lá dentro. E começa um show de efeitos de projeção de fibra ótica que tornam o ambiente um espetáculo único.

Cozinha Gourmet: a Nova Sala de Estar | Casa Cor Goiás 2011

Mais do que uma tendência, é um estilo de vida. As chamadas cozinhas gourmets são tipos de espaço cada vez mais procurados hoje no Brasil, graças ao atual encantamento das pessoas pela gastronomia.

Mas o que define uma cozinha gourmet? Antes de tudo, ela pode ser integrada à sala de estar ou jantar com um balcão no lugar de uma das paredes, no estilo “cozinha americana”. Afinal, não estamos mais falando daquele cômodo fumacento e engordurado restrito à dona de casa. A ideia é permitir que cozinheiros e convidados interajam, estendendo a festa para além da hora de servir. O balcão também confere sensação de amplitude à sala, além de fornecer mais espaço para trabalhar na cozinha. Também é importante não haver muitos armários, tudo precisa estar à mão – panelas e utensílios pendurados na parede – para ficar mais fácil de se mexer e de se organizar.

E o que é Gourmet? Gourmet é aquela pessoa que convida os amigos para jantar ou almoçar em casa e, quando eles chegam, nenhum prato está pronto. Neste momento, todos o acompanham até a cozinha e, enquanto se servem de vinho e petiscos, ficam observando o chef preparar o cardápio e aproveitam para colocar a conversa em dia.

A cozinha gourmet é um tipo de projeto que é compatível com qualquer espaço ou orçamento e prioriza o conforto e a boa circulação. Em apartamentos menores a opção pela cozinha gourmet é ainda melhor porque amplia os cômodos. Mas é importante lembrar que o sonho de uma cozinha planejada e integrada não é mais exclusivo do gênero feminino, muitas vezes são os homens que requisitam uma cozinha diferenciada. Os recém-casados e pessoas que moram só também estão optando por este tipo de projeto.

Alguns móveis e eletrodomésticos são característicos da cozinha gourmet planejada, como é o caso do cooktop (fogão de mesa), forno de pizza, adega e churrasqueira embutidos. Todos os eletrodomésticos que adotam uma estrutura para embutir são bem vindos a esse estilo de cozinha.

É importante que o espaço seja aproveitado de uma forma inteligente, combinando os móveis com harmonia para criar acima de tudo um ambiente confortável. A tecnologia é o principal recurso desse estilo de cozinha, pois torna o espaço gourmet um verdadeiro ambiente de lazer e originalidade para cozinhar.

Estas são imagens de cozinhas gourmet presentes na Casa Cor Goiás 2011

Estudo Preliminar | Casa Copaibeiras

Post Atualizado com nova imagem renderizada!

O primeiro grande passo para a evolução de um bom projeto é acertar no estudo preliminar. A liberdade de relacionamento entre arquitetos e cliente acelera, e muito, esse passo.

Esse foi o caso deste nosso projeto para um casal que consideramos muito especial. A relação estreita que se criou a partir de nosso primeiro encontro transformou reuniões para apresentação de estudos em agradáveis encontros onde as propostas eram expostas de maneira clara e direta. Críticas e sugestões eram jogadas a mesa sem rodeios.

estudo-preliminar-05-a11

1º passo: Definição de Layout

sketchup-gem

2º passo: Definição de Volumetria

Neste segundo passo não são consideradas cores, materiais aplicados ou tipos de esquadrias. A intensão neste momento é que o cliente entenda em 3 dimensões o que o Layout aprovado está gerando como volume.

Logo abaixo o resultado final.

Casa Embaúbas

Projeto residencial em condomínio fechado com área total de 270 m².

O que você faria com 70 m²?

Este post é uma publicação sugerida pela Battle of Concepts divulgando a Batalha MaxHaus. O concurso é de responsabilidade de seus realizadores.

O que você faria com 70m²?

Essa é a pergunta que a MaxHaus faz para você que é estudante ou recém formado e deseja criar um projeto inovador, criativo e que com certeza fará diferença em seu portifólio.

O desafio proposto por MaxHaus consiste no desenvolvimento de um projeto de arquitetura e design de interiores para a planta de MaxHaus Basic, 70m2, seguindo os conceitos de versatilidade e inovação.

Como prêmio temos R$ 15 mil  para serem distribuidos entre os 10 primeiros colocados além de prêmios extras pois a MaxHaus irá selecionar até 50 projetos para expor em seu site para serem votados pelo público e os 3 primeiros ainda ganham produtos da Apple.

Essa é uma grande oportunidade para você jovem arquiteto ou estudante que deseja mostrar seu talento.

Para saber mais acesse : ­www.battleofconcepts.com.br

Não conta pra ninguém!

Estávamos ansiosos para lançar esse post! É sobre um dia de trabalho que tivemos semana passada diferente dos tradicionais.

Como estamos sempre executando projetos de Design de Interior para nossos clientes, contamos com várias empresas e lojas, distribuidora dos produtos, que acabam se tornando parceiras de trabalho. Uma delas nos convidou para participarmos da primeira edição da revista da loja. A Brasilar é uma loja de móveis e decoração que existe em Uberaba desde 1.928. O showroom deles é bem completo, com 2.600 m² de loja, e tem mercadorias pra todos os estilos, gostos e bolsos.

A proposta era montar um ambiente dentro da loja, onde tínhamos total liberdade para dar a cara que quiséssemos ao nosso ambiente. Desafiador né? E assim foi. Algumas voltas pela loja e tomamos elementos como peças-chave para a criação do ambiente: uma composição de mesinhas hexagonais que nos daria liberdade de criar a forma que precisássemos, e uma chaise, robusta, marcante, revestida com uma capa de linho. Então optamos por montar um living, com layout diferente do tradicional, onde os móveis ficaram dispostos de uma forma mais despojada, sem a tradicional simetria.

Antecipamos a publicação do ambiente, que ainda será lançado na Revista Brasilar, juntamente com uma entrevista nossa, e com ambientes de outros colegas profissionais da região.

Em Obras

Está em fase de acabamentos a execução de um projeto da Cia de Arquitetura bem interessante. A cada dia torna-se mais real o que foi concebido com muito planejamento e cautela. Trata-se de um complexo de varejo na cidade de Monte Carmelo. É uma edificação ampla, que conta com supermercado, farmácia, loja de eletrodomésticos da região, posto de combustível e estacionamento.

O projeto foi concebido em função de explorar ao máximo a luz natural no interior da edificação durante todo o dia.

Assim que estiver tudo pronto, mostraremos aqui o resultado final.



Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 185 outros seguidores